terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

¨¨Só um papinho sem sentido sobre destino¨¨

Eu acredito, e muita gente não acredita, mas eu acredito em destino.

Eu acredito que as coisas nunca contecem por acaso, elas acontecem porque precisam acontecer.

Às vezes as pessoas ficam se perguntando o motivo de determinadas situações, os 'por quês', mas é muito simples: destino, apenas destino. E ninguém passa por esse mundo ileso de sofrimentos e tristezas, porque no destino de todos nós existe um poquinho de dor, e no fundo isso até que é bom, porque é isso que faz de nós seres humanos melhores, humanos de verdade.

Ninguém é feliz o tempo todo, e felicidade não vem de bandeja: se fosse assim todos viveriam sorrindo o tempo inteiro, e nós sabemos que isso não existe, porque todo mundo tem seus momentos de tristeza lá de vez em quando.

Se algumas vezes nós sentimos dor, é porque precisa mesmo doer, a final de contas, todos nós temos sentimentos, e que espécie de ser nós seríamos se fosse diferente??? Dói porque a dor também está no nosso destino.

Eu sempre acreditei que as coisas que acontecem na nossa vida nunca são apenas fatos isolados e no fundo tudo está interligado de alguma forma, e no fim tudo faz sentido e tudo se encaixa como se a vida fosse um perfeito quebra-cabeça.



*** só para não fugir do assunto...

Quando era criança eu e minha família morávamos em Pelotas, no mesmo pátio que os pais do meu pai. Quando eu estava prestes a completar meus 12 anos de idade nós nos mudamos para Porto Alegre. No início eu detestei a ideia de abandonar a escola, as amigas, minha irmã que vive lá até hoje e,odiei também ter que dar meus porquinhos da índia para uma amiga (que cuidou muto bem deles, por sinal), mas hoje eu vejo que essa mudança foi boa. Na verdade nos mudamos porque meus avós (avós???????) paternos não nos queriam mais morando lá (sendo que não morávamos lá de favor) e, também, eles nunca gostaram da minha mãe. É bem verdade que quando minhas irmãs eram pequenas eles cuidavam delas pra minha mãe poder trabalhar, mas também é bem verdade que aquele velho nojento e asquerozo tentou algumas vezes abusar das duas (mas nunca conseguiu). Comigo eles nunca tentaram nada, mas é aquela história: mexeu com minhas irmãs, mexeu comigo!
Minha mãe só ficou sabendo disso muitos anos depois, quando uma das minhas irmãs já era até casada e mãe de uma menininha (sendo que hoje essa menininha passa férias aqui em casa e tem quase 15 anos). Foi pouco depois da minha mãe descobrir isso que nos mudamos, a final de contas, a convivência estava péssima e insuportável mesmo.

¨¨É aí que entra de novo aquele papinho sem sentido sobre destino¨¨

O destino quiz e fez com que as coisas acontecessem desse jeito. Agora eu vejo que por alguns momentos as coisas podem ter sido complicadas, mas que nada aconteceu por um mero acaso. Se nada disso tivesse acotecido eu não teria feito os (melhores) amigos que fiz, nem teria conhecido aqueles "amigos da onça" que já tentaram puxar meu tapete (mas que são fundamentais para a gente aprender que nem todo sorriso é verdadeiro), nem teria vivido todas as coisas (muito boas e outra um pouquinho ruins) que vivi, nem teria encontrado meu C.T.G. que eu AMOOOOO e, com certeza eu não seria quem eu sou hoje e nem conseguiria ver as coisas da forma que eu vejo (não que eu tenha a pretensão de achar que sou uma pessoa perfeita ou que vejo as coisas da forma certa, mas estou bem satisfeita com minha vida e comigo mesma).

E quanto aos 2 idosos que ficaram lá em Pelotas se sentindo vitoriosos, os donos do mundo que nunca precisariam da ajuda de ninguém... hoje são 2 "pessoas" que vivem sozinhas, com problemas de saúde, abandonadas a própria sorte sem ninguém que estenda a mão. E por que eles vivem assim? Para mim, destino. Porque eu acho que o destino sempre se encarrega de dar o merecido castigo para aquelas pessoas que passam a vida inteira fazendo mal para as outras pessoas, até porque, como já diz aquele velho ditado: a vingança divina tarda, mas não falha.
E talvez algumas pessoas achem que eu estou sendo um tanto quanto cruel, mas o fato é que eu não esqueço jamais que os canalhas também envelhecem.

E quanto a mim, bem, eu não sei o que o destino me reserva, mas seja lá o que for eu espero sem medo algum, porque eu aprendi a ter consciência de que não importa o que aconteça, sempre acontece por algum motivo, e por mais que pareça muito ruim, sempre existe um lado bom, a gente só precisa saber avaliar as coisas por mais de ângulo e então a gente vai perceber que no fundo tudo tem um sentido e o destino sempre faz tudo se encaixar.


p.s.: a imagem não tem nada a ver com o assunto, mas tudo bem, porque nada por aqui está fazendo muito sentido mesmo, e o calor está afetando meus neurônios, e também, eu gosto dessa imagem e quiz colocar ela aí mesmo assim e que se dane se "não combina"... e ponto final.

e valeu pela força que vocês dão nos comentários, pela torcida pra que tudo fique bem e essas coisas todas. Valeu mesmo. É bom ver que tem pessoas que desejam que eu fique bem!

Beijosssss amoressss....

7 comentários:

  1. Muito legal teu post.
    Eu tbm acredito em destino.
    Tudo tem sempre uma razao pra acontecer e acredito que seja sempre pelo melhor.

    Tudo de bom amiga!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Olá minha querida* :)

    Concordo, em maior parte, com o teu texto, pois ele tem todo o sentido para quem realmente o souber interpretar.
    Muitas pessoas lamentam as suas situações ainda antes de tentar compreender a sua origem!

    Um beijinho, boa continuação* ;)

    ResponderExcluir
  3. Querida, eu acredito em destino, mas penso o seguinte : dentro do "plano" traçado para cada um, existe alguma autonomia, uma certa liberdade de escolha, conhecida por livre arbítrio. É assim, unindo destino e escolha, que a vida segue.

    * A história do avô que tentou abusar das netas, fez meu estômago revirar...que nojo! Aff! ¬¬

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  4. Édna, querida...
    Não sei se acredito em destino. Na verdade, acho que as coisas acontecem tão aleatoriamente!
    Mas, enfim, ainda bem que vcs se mudaram antes que a situação piorasse!
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do seu post, concordo com vc, o destino se encarrega mesmo de dar a cada um aquilo que merecem...
    Muito triste essa história de seus avós, aff, ninguém merece, ainda bem que vcs se mudaram e tudo foi diferente de muitas histórias trites que ouvimos tão constantemente nos dias de hoje.
    Muitas vezes enontramos mesmo muitos velhinhos sofrendo, sozinhos, numa fase da vida em que precisam tanto de cuidado, mas tbm na maioria das vezes não pensamos em como foi a vida dessas pessoas,nas coisas boas e ruins que essas pessoas fizeram, pois tudo na vida volta exatamente da forma como merecemos...

    Beijo bem grande pra vc querida e um lindo começo de semana.

    ResponderExcluir
  6. Eu acredito/desacredito em destino... depende da situação. Acho que a gente tem que dar uma forcinha pra ele às vezes.

    Eu já mudei de casa/lugares um monte de vezes... e sempre me pergunto o que teria sido se eu tivesse ficado em determinado lugar... nunca vou saber.

    Mas aproveite o que atualmente o destino te reserva e viva bem o hoje, pois como bem mostraste no teu post, nunca se sabe o dia de amanhã.

    Beijo

    ResponderExcluir